Ética no Yoga

Há tempos conversamos entre nós sobre viver uma vida de yoga.




Uma vida de yoga não é apenas dedicar-se 1 à 2h ao dia, uma ou duas ou 10 vezes por semana, a sua prática de posturas, respiratórios e meditação.

Já aprendemos também que isso é apenas o início, não é mesmo?

Deixar o corpo saudável, forte e flexível é determinante para uma vida sem dores e doenças, ou com capacidade para enfrentar da melhor forma possível, as dores e doenças.

Porém, a vida nos pede muito mais do que isso.


Compaixão, respeito e ética são valores essenciais para viver em sociedade.


Por exemplo, não é porque sou vegana que não me vacinarei ou que adotarei o discurso de que "não foi minha culpa a pandemia."

De forma semelhante, não viverei em uma realidade paralela em que cristais, incensos e práticas de ásanas podem me proteger do vírus, em detrimento das descobertas científicas.


Viver uma vida de Yoga é saber se posicionar no tabuleiro da vida.

Indagar-se cotidianamente:

- Quem eu sou e quem não sou?

- Pelo o que quero ser conhecida e pelo que não quero ser?

- De que maneira sou identificada e pelo o que sabem que não compactuo?


Como já dissemos outras vezes, a Vida de Yoga para o Viver Simples é, dentre outros desejos, saber compartilhar o nosso melhor como professoras, terapeutas, mulheres, filha e mãe, de forma clara e acessível, descomplicada e não elitizada. Compartilhamos preços acessíveis e qualidade em todas as etapas do nosso Projeto. Viver o Simples não é voto de pobreza, mas ter qualidade de vida, buscando não sermos influenciadas por este ou aquele exemplo de ideal, felicidade e consumo.


Daí a importância de termos uma bússola, algo que nos guie nessa caminhada de encontrar a felicidade em todo o processo e não só na chegada.

Parte essencial é saber que tudo pode dar "errado" ao final, sim!

As coisas, nossos melhores projetos e intenções, podem não sair como desejamos e o que faremos à respeito disso? Tudo o que passamos não valeu à pena?


Todos que querem viver uma vida de ética no yoga devem conhecer os princípios básicos, chamados de Yamas e Nyamas.

Eles nos orientam diante da nossa relação com a sociedade e conosco.


Respectivamente:


Yamas

1 - Não usar nenhum tipo de violência (Ahimsa).

2 - Falar a verdade (Satya).

3 - Não roubar (Asteya).

4 - Equilíbrio tanto no que se refere à esfera sexual, quanto no tange ao apetite, ao falar, ao pensar, etc. O praticante de yoga deve ser moderado em pensamentos, palavras e ações, de forma que haja equilíbrio em todos os aspectos da sua vida (Brahmacharya).

5 - Não se apegar (Aparigraha).


Nyamas

1 - Limpeza física e mental (Saucha)

2 - Contentamento ( Santosha)

3 - Fogo da Disciplina (Tapas)

4 - Estudo das escrituras do yoga e de si próprio (Svadhyaya)

5 - Agir sem se apegar aos resultados, praticando a entrega desses resultados à Consciência/Deus (Isvaha Pranidhana).


Uma pequena reflexão na Ética do Yoga nos revela sua importância para a manutenção de uma vida cidadã e equilibrada em sociedade.

Porém também nos revela o obvio: o quanto a caminhada é difícil e árdua para simples seres humanos como nós.


Os preceitos mostram o quanto ainda temos que caminhar para a harmonia entre os seres e o todo.


Por aqui, seguimos praticando.


Débora

29 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo